Gastos com a Copa do Mundo de 2014 já atingem R$ 26,5 bilhões / Spending on the World Cup 2014 has reached R$ 26.5 billion / El gasto en la Copa del Mundo de 2014 ha llegado a R$ 26.5 billones

The cost to the organization of the 2014 World Cup has already reached R$ 26.5 billion. The figure is R$ 2.7 billion higher than planned in the first public budget of the Union, January 2011, and will increase.

——

El costo para la organización de la Copa del Mundo de 2014 ya ha llegado a R$ 26,5 billones. La cifra es de R$ 2,7 billones superior al previsto en el primer presupuesto público de la Unión de enero de 2011, y se incrementará.

——

Bárbara Macri de São Paulo e Bernardo Itri do Painel FC

O custo para a organização da Copa de 2014 já atinge R$ 26,5 bilhões. A cifra é R$ 2,7 bilhões maior que o previsto no primeiro balanço orçamentário da União, de janeiro de 2011, e vai aumentar.

Para o governo federal, essa conta ainda não está fechada. Questionado pela Folha, o Ministério do Esporte informou que a previsão é que os investimentos para o Mundial alcancem R$ 33 bilhões.

Considerado o valor atual –R$ 26,5 bilhões–, o país vai custear 85,5% das obras relacionadas ao evento. O dinheiro vem dos governos federal, estaduais e municipais.

O número é baseado na última versão da matriz de responsabilidade, consolidada em dezembro de 2012.

O documento cita os gastos com obras de mobilidade urbana, estádios, portos, aeroportos, telecomunicações, segurança e turismo relacionados ao Mundial. Além disso, aponta os responsáveis por arcar com os custos.

A cifra foi atualizada com o aumento de preço do Maracanã e com os valores das instalações temporárias no entorno das arenas da Copa das Confederações e do Mundial. Para atender os dois torneios, essas estruturas custarão R$ 900 milhões às sedes.

De todo o dinheiro que será desembolsado para realizar a Copa do Mundo, apenas R$ 3,8 bilhões serão bancados pela iniciativa privada.

Outros R$ 14,9 bilhões serão financiados pelo governo federal por meio de empréstimos ou investimento direto nas obras. Os R$ 7,7 bilhões restantes sairão dos Estados e das cidades-sedes.

A maior parte dos investimentos não governamentais será feita em aeroportos –R$ 3,64 bilhões serão aportados em Guarulhos, Campinas, Natal e Brasília.

À exceção de Natal, esses terminais serão operados por concessionárias. Após as obras, os investidores vão explorá-los comercialmente.

Na construção e reforma de estádios, a disparidade é ainda maior. O investimento direto da iniciativa privada é ínfimo.

Em 2008, ano seguinte ao anúncio de que o Brasil sediaria a Copa-2014, o então ministro do Esporte, Orlando Silva Jr., declarou à Folha que não seria gasto “nenhum centavo de dinheiro público” com estádios do Mundial.

Questionado sobre os gastos governamentais, o Ministério do Esporte argumenta que a Copa é “uma grande oportunidade para o governo acelerar obras de infraestrutura e realizar intervenções importantes à população”.

A pasta afirma ainda que gastos estruturais e com serviços não podem ser considerados “custo específico de organização do evento”.

O COL (Comitê Organizador Local) não havia respondido aos questionamentos da reportagem até a conclusão desta edição.

Alex Argozino/Editoria de Arte/Folhapress

Alex Argozino/Editoria de Arte/Folhapress

Link Original: Gastos com a Copa do Mundo de 2014 já atingem R$ 26,5 milhões

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s