Metrópoles brasileiras: inflexão na ordem urbana?

0e397a47f88e18f8fb91d17db18c7edd_L

 

Como atividade de encerramento do seu programa de pesquisa no período 2009-2015, o INCT Observatório das Metrópoles realizou Seminário Nacional, de 9 a 11 de dezembro, no qual foram discutidas as sínteses comparativas sobre as transformações urbanas ocorridas nos últimos 30 anos nas 14 metrópoles principais metrópoles do país. Os textos apresentados pelos Núcleos Regionais do Observatório tiveram como base o texto “Transformações na ordem urbanas nas metrópoles”, elaborado pelo professor Luiz Cesar de Queiroz Ribeiro, coordenador nacional, no qual foram propostos os fundamentos da reflexão comparativa empreendida.

Segundo Ribeiro, de acordo com o modelo de análise adotado pelo Observatório, não obstante o período analisado compreender ao menos três distintas conjunturas macro econômica – crise dos anos 1980, experimento neoliberal e experimento neodesenvolvimentista – da aceleração da transição demográfica, da diminuição das desigualdades de renda, da expansão do emprego formal, das políticas sociais, etc. – permanecem as principais marcas da ordem urbana das metrópoles: a produção e uso do espaço construído das metrópoles como base de sustentação do padrão de desenvolvimento capitalista brasileiro. Por outro lado, os trabalhos apresentados bem como os debates  suscitados, apontaram que no final do longo período analisado a emergência de transições importantes na ordem urbana das metrópoles.

Estudos sobre a ordem urbana

O Seminário Nacional “As Metrópoles e as transformações urbanas: desigualdades, coesão social e governança democrática” teve como objetivo consolidar um livro síntese comparativo sobre as 14 principais metrópoles brasileiras.

Para alcançar esse fim, o coordenador nacional do Observatório das Metrópoles, Luiz Cesar de Queiroz Ribeiro, apresentou o texto “Transformações na ordem urbana nas metrópoles: bases para uma síntese comparativa” no qual mostra as bases teóricas e metodológicas para a realização da síntese comparativa nacional.

SeminarioDez2015_Rio_LuizCesar

Luiz Cesar Ribeiro no lançamento da coleção “Metrópoles: transformações na ordem urbana”

De acordo com Ribeiro, o texto propõe alguns temas de reflexão sobre a importância e os desafios do método comparativo nos estudos urbanos como prática de pesquisa que possa permitir enfrentar criticamente o atual debate internacional sobre a teoria urbana. “Nesse aspecto, retorno às discussões iniciadas com a criação da Rede Latino-Americana de Teoria Urbana em 2011 (da qual o Observatório das Metrópoles faz parte), cuja intenção central é abrir caminhos para a construção de marcos teóricos – e epistemológicos – que incentivem a retomada no mundo acadêmico de um pensamento urbano latino-americano crítico e capaz de capturar a nossa historicidade”, explica e acrescenta:

“A reflexão sobre os objetivos, possibilidades, modalidades e limites da pesquisa comparativa parece uma estratégia fundamental no esforço coletivo de formulação das bases para a pesquisa urbana na América Latina que dialogue com o que se apresenta como teoria urbana universal e, ao mesmo tempo, busque capturar as nossas particularidades históricas ou até mesmo nos leve refazer estas mesmas teorias”.

Segundo ainda Luiz Cesar Ribeiro, a experiência de pesquisa comparativa realizada pelo Observatório das Metrópoles pode servir de base para essa reflexão. “Estamos conscientes de que o debate sobre a comparação se organiza na escala internacional, tomando casos de cidades pertencentes a países distintos, mas todas submetidas à hipótese de uma causalidade comum de transformação urbana gerada pela globalização. Contudo, considerando, de um lado, a dimensão continental do Brasil e suas fortes diferenças regionais – econômicas, antes de qualquer coisa, mas não apenas –, e de outro lado, o fato de todas estarem submetidas às mesmas dinâmicas de transformação resultantes da mudança do modelo de desenvolvimento, acreditamos estar diante de um quadro nacional que coloca desafios metodológicos, senão iguais, similares aos enfrentados nas pesquisas internacionais”.

O texto “Transformações na ordem urbana nas metrópoles: bases para uma síntese comparativa” está estruturado em 5 seções, além da introdução.

Na primeira, apresenta de maneira sintética o quadro geral da urbanização brasileira para destacar a importância da nossa particularidade histórica como um país que se urbanizou rapidamente e que simultaneamente criou grandes metrópoles. A intenção é oferecer informações que ajudem a compreender os objetivos do programa nacional de pesquisa comparativa do Observatório das Metrópoles, objeto da segunda parte da texto.

Em seguida, apresenta o projeto empírico construído com o intuito de operacionalizar o objetivo de gerar leituras monográficas que capturem as particularidades históricas de cada metrópole e que possam gerar, ao mesmo tempo, um quadro empírico comparativo das transformações urbanas nas metrópoles.

Na terceira e última parte destaque para escolha teórico-metodológica que preside a atual etapa do projeto na qual se pretende passar dos fundamentos empíricos para a construção de uma explicação sociológica. Segundo Ribeiro, pretende-se suscitar o debate sobre as possibilidades de superar as oposições entre o globalismo intelectual e o empirismo sem modelo teórico. Por último, apresenta um esboço do que se pode considerar como as bases do conceito de ordem urbana com o qual o Observatório das Metrópoles pretende interpretar a relação entre a dinâmica da organização social do território das metrópoles e a reprodução das desigualdades sociais e das relações sociais.

Faça o download do texto “Transformações na ordem urbana nas metrópoles: bases para uma síntese comparativa”.

Coleção Metrópoles: transformações na ordem urbana

A Rede Nacional INCT Observatório das Metrópoles está encerrando, em 2015, o seu programa qüinqüenal de pesquisa (2009-2015), no âmbito do Programa Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (CNPq/MCT&I), envolvendo cerca de 200 pesquisadores direta e indiretamente mobilizados nas 14 principais metrópoles brasileiras.

Ao longo dessa trajetória de 5 anos foi desenvolvida a pesquisa nacional comparativa a respeito das transformações urbanas ocorridas no período de 1980-2010 nas metrópoles pesquisadas pelo Observatório. O resultado deste grande projeto é a Coleção “Metrópoles: transformações na ordem urbana”, talvez a análise mais completa sobre a evolução urbana do país, servindo assim de subsídio para a elaboração de políticas públicas e para o debate sobre o papel metropolitano no desenvolvimento nacional.

SeminarioDez2015_PesquisadoresGeral

Equipe da Rede Observatório das Metrópoles durante lançamento da coleção “Metrópoles: transformações na ordem urbana”

A coleção é composta de 14 livros, 169 capítulos e cerca de 270 autores das mais variadas áreas do saber analisando as transformações urbanas das principais metrópoles do Brasil no período 1980-2010, a partir de temas como organização social do território, demografia, rede urbana, dinâmicas de metropolização, moradia, mobilidade urbana, governança metropolitana, bem-estar urbano, entre outros.

Os livros estão disponível para download gratuito no site:

http://transformacoes.observatoriodasmetropoles.net/

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s