O IDHM é medida de “qualidade municipal” no Brasil?

blog da Raquel Rolnik

A divulgação dos dados do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) do país apresentados pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), em parceria com o IPEA, teve grande repercussão. Por se tratar de um índice municipal, um dos objetos destacados pela mídia foi a apresentação de uma espécie de “ranking” de municípios, mostrando os melhores e os piores… Em tese, cidadãos e governos dos “melhores” municípios devem ter ficado orgulhosos, e os dos piores, envergonhados ou chateados. Mas será que estes números revelam mesmo a qualidade dos nossos municípios?

Os números mostram que de 1991 para cá o índice cresceu consideravelmente. De fato, houve avanços. Mas mostram também que a precariedade de nossos municípios ainda é grande. Resolvi comparar a evolução do IDHM entre os anos 1991 e 2010 com os dados de adequação de domicílios brasileiros referentes ao mesmo período, produzidos por uma rede de grupos de…

Ver o post original 580 mais palavras

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s